Atari Teenage Riot

burnberlinburn

Há pelo menos dez anos venho procurando um cd (veja bem, cd original, com encarte e tudo que tem direito, mp3 não conta) que está entre os meus preferidos de todos os tempos, sem sombra de dúvida: “Burn, Berlin, Burn” da banda alemã Atari Teenage Riot.

Pra quem não conhece, o Atari Teenage Riot é uma das bandas mais extremas que já existiram. Apesar de um de seus fundadores e membros principais, Alec Empire, discordar do rótulo “eletrônico” para denominar o som da banda – ele achava que a banda era barulhenta demais pra ser considerada eletrônica -, o que os caras faziam era sim um som eletrônico, com batidas eletrônicas programadas, samples e com vários efeitos…eletrônicos. Só que não se pode tirar toda a razão do Alec Empire.

O som da banda é sim absurdamente agressivo (o Beastie Boy Mike D já os chamou de “the most punk-rock shit ever”), levando o formato e os recursos eletrônicos ao limite, os deturpando, e, consequentemente, os reinventando. Os samples, normalmente trechos de alguma música bem pesada e/ou com levadas punks/thrash/death nos fazem (ao menos, me fazem) ter uma outra visão das próprias músicas e estilos originais, assim como da música eletrônica e das possibilidades de todos os gêneros mencionados.

Além do formato das “canções” (hehehe) as letras são também bastante agressivas e, invariavelmente, relacionadas à visão declaradamente anarquista da banda e de seus componentes. Tais letras já levaram a banda a ser até mesmo inventigada pelo serviço secreto alemão.

Mas tudo isso poderia ser mera curiosidade caso o som não se bastasse. E o caso é que a banda lançou, pelo menos, um dos maiores álbuns de música extrema e de música eletrônica de uma vez só: “Burn, Berlin, Burn”. Faixas como “Start  The Riot”, “Sick to Death”, “Destroy 2000 Thousand Years of Culture”, “Atari Teenage Riot”, “Delete Yourself”, “Into the Death” and “Speed” são, ainda hoje, extremamente agressivas e revolucionarias, tanto em suas sonoridades, quanto em suas letras.

Alguém deve estar se perguntando o porquê de eu estar escrevendo sobre o Atari Teenage Riot e, particularmente, sobre o “Burn, Berlin, Burn”, hoje 17 de fevereiro de 2009. O que acontece é que, finalmente, consegui comprar o cd! AÊÊÊÊ!!! E o melhor, a preço de banana (R$ 5,90); e o melhor ainda: de lambuja, comprei também o disco seguinte lançado pela banda “60 Second Wipe Out“, que se não é tão bom quanto o anterior, tem lá seus pontos altos – “Revolution Action”, inegavelmente, e os experimentalismos eletrônico-extremos levados ainda mais longe.

A capa do “Burn, Berlin, Burn” tá aí em cima e quem quiser conhecer é só correr atrás (tem um myspace oficial: http://www.myspace.com/atr922000 , mas que tem muito pouca coisa e não dá pra ter uma idéia legal da banda. O lance são os discos mesmo).

Cabe aqui ainda um agradecimento ao camarada Crispim por, há mais de 10 anos atrás, ter não só me apresentado a banda, como também me gravado os dois cds sobre os quais escrevi e ainda material inédito e raro. Posso afirmar estar muito feliz em ter finalmente conseguido comprar o cd pelo qual procurei por tanto tempo. Mas antes dele, foram as gravações feitas pelo Crispim que matavam minha fome de Atari. Valew, rapah!

No mais, só alguns comentários sobre os cds. Ambos foram lançados recentemente em versão nacional pela Rock Machine Records e são essas versões que tenho em mãos. São bem acabadas e com encartes completos. Coisa rara e bem cuidada.

T+!

Anúncios

~ por tarsodoamaral em 18/02/2009.

4 Respostas to “Atari Teenage Riot”

  1. Valeu, cara! Fico feliz em saber que você finalmente arrumou os originais, mais ainda em saber que curtiu esse tempo todo o material que eu te arrumei! Que bom!

    Mas olha, se quiser expandir um pouco, recomendo (aliás, re-recomendo, pois já te falei desse álbum antes) um álbum do Alec Empire de 2005, chamado Futurist. Quer mais Atari? Vai lá!

    Adorei o review, Atari é isso tudo aí!!

    Abração, Crispa

  2. É, Crispim, como escrevi, foram as tuas cópias que mataram a sede de Atari até bem pouco tempo atrás.
    Eu queria saber qual era mesmo o nome do disco do Alec Empire que você tinha me recomendaddo. Agora, com o nome certo, pode ter certeeza que vou correr atrás.
    Valew, garoto.
    Grande abraço.
    t+!

  3. Quem quiser baixar o som dessa banda ( e de qualquer outra que signifique alguma coisa no cenário pop ), é só procurar no 4shared. Ali tem tudo, com certeza. Ramones lá eu baixei tudo.
    Essa banda é sinistra, os integrantes usavam um dop pesado, parece que um até morreu de overdose. São tipo uns visionários que no embalo do drogão tem contato com o futuro, outras dimensões e traduzem tudo para a música, todo esse conteúdo inconsciente. Profecia pura. Esses aí são importantes, o Universo coloca eles na nossa frente, não precisa nem procurar. ATARI TEENAGE RIOTS, guarde esse nome cara, esses são…

  4. WBrown, valew pela dica. Quanto a eles serem visionários, não levo fé nisso. O que eu lembro de ver os caras dizendo em entrevistas é que eles queriam propagar as idéias anarquistas deles que, na verdade, são mais para terroristas. Enfim, no geral, o som era muito bom.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: