Diaspóro

fragmentraduzo-me

no-lar-de-cá-o-lar-de-lá-o-lar-de-um-dos-eus-que-sei-que-sou

fragminto fragmentos

na marra, amarro e narro

ficções reais demais

roço o espesso verso nessa áspera diáspora

quando, de novo, me movo como um novo ovo:

partido, eu parto: um novo parto

ruptura prenhe de sutura

será lá um lar?

sei lá…

sem senso se pertenço,

checo

cheiro

choco,

mas não chego

choro os dias pelos olhos

choros os dias pelos poros

dias e poros:

diaspóro.

e de longe, bem longe,

um canto questiona:

“lar, lá há lar?

Há lar? há lá?”

Anúncios

~ por tarsodoamaral em 13/07/2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: